sábado, 17 de novembro de 2012

Deu a volta na vida!

A voz que escreve: Eis que uma nova seção aporta aqui:  Conto uma crônica. A história de Regina continua, mas agora será permeada por alguns contos e crônicas, desengonçados o não. Vamos nessa?


Deu a volta na vida

Por Re Vieira

Ela era assim, moça simples. Feliz com a vida que levava. Sua família como diziam pela cidade era simples, mas bem estruturada. Seu pai saiu de casa quando ela acabara de completar 3 anos, sua mãe foi embora dois anos depois, exatamente no dia em que ela fazia 5 (anos). E seu irmão mais velho, esperou mais 4 anos e casou-se deixando-a com sua avô que, no mês anterior à partida dele, completara  89. 

Teve uma vida cascuda, quando sua avó faleceu, ela com 15 anos teve que ser dona de sua vida. Oficialmente, porque antes, já o  era. Quiseram levá-la para um orfanato, ela fugiu. Sabia se cuidar. Pegou a pequena fortuna que sua avó lhe deixara e decidiu que ia aprender música. Queria vencer na vida. 

Não, não fugiu da escola. Estudou duramente na escola pública perto de sua casa e assim que completou os 18, conseguiu entrar para a escola de música da cidade. Inscreveu-se  na aula de violino. Estudou, aprendeu a tocar e foi a primeira violinista da orquestra que a contratou.. 

Quando souberam de sua fama, pai, mãe e irmão vieram lhe procurar. Ela os recebeu de bom grado e logo lhes pôs a trabalhar. O pai, virou motorista. A mãe. ajudava na casa e o irmão, se quisesse morar com ela teria que cuidar do jardim. 

Ela, descobriu que a vida dá voltas e que há algumas lições que precisam ser aprendidas pelas pessoas. Seguiram assim, com a vida estruturada. 

Hoje está por ai rodando o mundo com sua música, porque não se deixou levar pelas dificuldades, quase impossíveis de superar, que a vida nos impõe algumas vezes.


16 comentários:

  1. Belíssima leitura, adorei, obrigada.

    ResponderExcluir
  2. Ficção tão real. Os que escolheram a arte têm histórias difíceis para contar.
    Beijos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo Tania. E essas histórias são para muitos lições de vida!!!

      Grata pela visita!

      Excluir
  3. Minha querida lindo texto ...fiquei encantado com teu discorrer...Colocas muito bem o que sentes e realmente é mesmo assim ...Um grande beijo parabéns Pedro Pugliese

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Grata pela leitura Pedro. Bom demais este retorno!

      Excluir
  4. Não...ela não deu a volta na vida...ela SUBIU na vida.
    Para pessoas assim e são poucas...eu tenho admiração e respeito!
    Beijão...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso, isso, isso!
      Gostei muito de tua opinião Crista.
      E ainda bem que ela venceu esta luta!

      Um beijo!!!

      Excluir
  5. Olá:) Fui entrando, sentei um pouquinho e fiquei.
    Essas voltas da vida são as voltas que a vida dá e o surpreendente é que tem voltas que na realidade são muito mais surpreendentes do que aquelas que a ficção consegue imaginar!
    Amei.

    Jinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sejas bem vindo Jinho. Fico feliz que tenhas gostado. Será um prazer tê-lo aqui...

      A vida de vez em quando nos surpreende não é??

      Excluir
    2. Oi outra vez:) Eu sou a Suricate :) Jinho, é a minha abreviatura de beijinho que deixei para você:) Regina:)

      Excluir
    3. Ops!!
      Desculpe.

      Adorei a abreviatura!!!

      Jinho!!!

      .)

      Excluir
  6. Excelente lição de vida. Pureza, inocência e clarividência.
    Um coração doce, também.
    E, além do resto, uma escrita muito sensível.
    Gostei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grata Dulce.
      A gente aprende com as histórias dos outros. Isso é por demais importante. Fico muito feliz que tenhas gostado!

      Abraço imenso!

      Excluir
  7. Vitoriosa e talentosa, não? Acho violino tão lindo? Alimenta a alma. Por isso, ela passa leve pelas dificuldades da vida. Vou ler outro texto, antes de ir embora!

    ResponderExcluir
  8. Não há física alguma que meça a força necessária para caminhar esse caminho tão cheio de surpresas. Boas ou não, a resiliência foi fantástica.

    ResponderExcluir

Estou feliz demais com a tua visita!
Fique à vontade!

Obrigada!
R. Vieira