domingo, 31 de março de 2013

Sequência

Uma tentativa - 60

Olá,

Que bom que vieste. Ficamos um bom tempo sem nos ver, mas fico feliz e saber que ainda tem carinho e paciência comigo. É bom demais! Mas vamos a nossa conversa diária né. Temos muito que conversar. E muito mesmo!!!

Então, da ultima vez que falamos o Paulo estaca com aqueles problemas com a ex, lembra? Até internar a moça ele precisou. Pensamos que as coisas iam ficar mais fáceis, mas pelo visto não foi o que aconteceu. A família da moça começou a ligar e pedir ajuda a ele. Constantemente ele teve que sair do grupo de estudos lá na faculdade para atender emergências dela. 

Fui ficando triste. E embora soubesse que ele só estava querendo ajudar, não conseguia ficar tranquila. Então passei a ir com ele. todas as vezes que ele era chamado íamos juntos. Eu , por conta da minha formação em psicologia tentava ajudá-la, conversando, tentando ouvi-la, mas ela não aceitava. 

Ela queria o Paulo, nada além disso! Um belo dia nos ligaram, eu atendi o telefone e a mãe da menina estava aos prantos. Ela havia se rasgado com uma faca a proteção da janela de seu quarto e se atirou lá de cima. Eu não conseguiria acreditar em tal absurdo se a não pudesse, mesmo pelo telefone, verificar o desespero daquela mãe. 

Nos dirigimos pra lá, providenciamos todo o processo para que a menina tivesse um sepultamento digno, a polícia nos interrogou, até chegou a pensar que eu e paulo tínhamos algo a ver com a história, veja só. Mas logo perceberam que não. As digitais na faca comprovaram que ela mesma havia provocado tal acidente.

Faz uns 2 meses que isso aconteceu e foi por isso que andei quieta, pensante... Mas resolvi reabrir minhas portas. A vida continua, não é mesmo?

Agora eu e Paulo estamos tentando reerguer nossas vidas.
Ah sim. Chegou tua hora!

Oh depois volte para tomarmos aquele café hein!!

Abraço! 


_________________________________________________________________________________
Obs.: As histórias de R.. Vieira são ficção desta cabeça  que gosta de pensar. 

12 comentários:

  1. Bem, muitas coisas aconteceram mesmo na tua vida querida, foste mesmo muito forte!

    ResponderExcluir
  2. Há momentos nas nossas vida muito difíceis de ultrapassar...
    Ma o tempo é um grande amigo e lentamente tudo seguirá com alguma normalidade. Tudo de bom.
    M. Emília

    ResponderExcluir
  3. Nossa, que coisa! Mas a vida segue e os dois não têm responsabilidade sobre a tragédia!
    beijinhos!

    ResponderExcluir
  4. Não sabia que eram ficção ahahah ainda bem que escreves-te, tens um jeito brutal querida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsr! Vou fixar lá na parte e cima do blog. :)

      Excluir
  5. Ufa!

    Que bom que foi uma ficção. Tua imaginação é muito convincente, sabia?

    Saudoso abraço!

    ResponderExcluir
  6. Me identifico com muitas das suas historias :) são ótimas

    ResponderExcluir
  7. Sim, apesar de tudo que possa acontecer, a vida continua.
    Ótimo texto, R. Vieira.

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  8. E eu pensando o tempo todo que esse Paulo era gente ...rsrs ou seja existia ali todo bonitinho etc e tal...
    Convincente demais R.Vieira.
    Bora escrever um romance ok?
    beijinhos de chegada ,com carinho.

    ResponderExcluir

Estou feliz demais com a tua visita!
Fique à vontade!

Obrigada!
R. Vieira