domingo, 28 de julho de 2013

Uma história II (final)

Uma tentativa - 72


Feliz que tenhas vindo cedinho. Estava aqui relendo a História Caio. Aquela que comecei a lhe contar. Você chegou bem na hora, sente ai e ouça o restante.


Porém, quando se aproximou da meia noite uma festa daquelas bem agitadas foi iniciada no espaço de festa bem em frente à sua casa.  Caio tentou muito dormir aquela noite, mas foi quase impossível. A farra estava imensa e o silêncio, tão precioso para aquele momento passava bem longe dali!

O jovem seguiu sua luta pelo sono, mas as horas avançavam trazendo para mais perto o grande dia. No relógio o ponteiro grande marcava o número doze e o pequeno já estava pertinho do cinco. Era  cinco horas da manhã, hora de levantar para chegar a tempo no local da prova. 

Além de se arrumar e tomar o café, Caio tinha dois ônibus para pegar. E foi exatamente o que ele fez. 

Chegou à sala, sentou na cadeia indicada e quase se pôs a chorar. Estava mesmo cansado. Será que conseguiria vencer mais aquela batalha? 

Às sete em ponto soou o sinal. E para ele era como se aquele fosse sinal mais decisivo de sua vida. Durante as horas que  seguiram, lutou contra o sono, contra as dúvidas, contra o mundo que sempre lhe colocara em escanteio... Foi um dos últimos a entregar o caderno de provas.  E quando chegou em casa dormiu o sono dos desesperados. 


O resultado seria divulgado na próxima quinta. Dia esperando mais que ansiosamente. E quando enfim era chagada a hora lá se foi o nosso querido jovem. Buscava o cyber café mais perto de sua casa para acessar o site da universidade. Não tinha internet em casa.

Mas enquanto Caio descia a ladeira em direção ao estabelecimento, os policiais subiam em busca de alguns meliantes que há muito era procurados. 

Caio estava agora no meio da guerra da favela onde morava. E diante disto, não foi difícil ser atingido por uma bala que sem rumo veio procurar suas costelas.

Sim, ele sobreviveu ao incidente, se é que assim pode-se chamar o ocorrido. E sim, Caio havia passado no vestibular.  Porém, o pequeno grande homem de nossa história ficou meses em coma no hospital, pois batera  com cabeça no meio fio no momento da queda E seus pais, por vez, não tinham o que fazer para garantir-lhe a vaga na universidade porque nem sabiam que ele havia passado no concurso. 

Caio agora estava paralítico. Mais uma vez o mundo lhe colocava de escanteio. Mas ele não desistiu. Ia tentar quantas vezes fossem preciso até atingir seu objetivo. Sabia que era capaz e não daria vitória assim tão fácil para a sociedade.

Um ano se passou e lá estava Caio na Universidade. Lutando para continuar a ser um homem de bem. Feliz em sua mente pela vitória alcançada, mas triste em seu coração porque sabia ser exceção no meio de tantos jovens com destinos pré-determinados pelo mundo injusto onde vivem.

R. Vieira

Bom, eu sabia que era longo. Desculpe ter te alugado. Espero que tenhas apreciado. Sabe, aprendi muito com esta história do Caio!

Vamos dar um passeio?

10 comentários:

  1. Esta tão lindo e tão triste ! Odeio injustiças !!! Mas sem duvida que Caio era um bom homem :)

    ResponderExcluir
  2. A história do Caio tem um final. :)

    ResponderExcluir
  3. Foi longo, mais foi lindo. Gostei de verdade!

    Beijos, Lyse.
    http://dallyse.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Que texto lindo minha querida! Beijinho grande do tamanho do mundo!

    ResponderExcluir
  5. Linda história! Adorei seu blog, realmente muito incrível, tem tudo para fazer o maior sucesso; Já estou seguindo, segue o meu também?
    www.espacegirl.com

    ResponderExcluir
  6. Nossa que história! Nem sei o que dizer, uma história tão triste e Caio um homem de bem que mesmo depois de tudo ainda tinha forças para lutar, essa história mostra que nunca devemos desistir por mais complicado que seja o nosso problema... lindo demais!

    http://mundodeariel.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Estou feliz demais com a tua visita!
Fique à vontade!

Obrigada!
R. Vieira